Deputado estadual apontou estar ciente das mazelas enfrentadas pelos policiais dentro e fora das delegacias

O SIPESP esteve, nesta quarta-feira, 28, na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (ALESP) para uma reunião com o deputado estadual Tenente Coimbra (PSL). O encontro integra a proposta de atuação do Sindicato em prol das prerrogativas da categoria junto ao legislativo. O Sindicato foi representado pelos diretores Joraci Campos e Maria Helena Torres e pelo advogado Fabio Alencar.

“Nós estamos fazendo esse trabalho de reivindicações junto à Assembleia Legislativa e aos deputados para ver se os nossos pedidos para a categoria podem ser atendidos”, disse Joraci Campos.

Em seguida, a diretora Maria Helena Torres afirmou saber das dificuldades para atender a tantas necessidades. “Há muita defasagem e o nosso interesse é que, pelo menos, o nível universitário, que já está aprovado, seja cumprido”.

Após os representantes do Sindicato apontarem as principais lutas, o deputado Ten. Coimbra afirmou que tudo o que estiver relacionado à Segurança Pública, ele tem empenho na luta. “Concordo com a questão do nível universitário, que é um marco para o próprio reajuste salarial no final das contas”, falou.

Ainda sobre o reajuste salarial, Coimbra opinou sobre o anúncio de reajuste salarial das polícias do governador João Dória. “A promessa do reajuste é para outubro, que só vai corrigir questões internas. Precisamos adequá-lo à realidade, fazer uma readequação em cima do reajuste”, lamentou. “Na vinda do governador à ALESP, que ocorre mensalmente, sinalizei que ele anunciou que vai anunciar o reajuste, então isso só vai sair ano que vem”.

“[O aumento salarial] É uma demanda recorrente e temos ciência dos demais problemas, desde falta de equipamentos, estrutura, delegacias caindo aos pedaços, falta de pessoal, etc. Fiquem tranquilos com relação a isso porque a cobrança está sendo feita. Estamos sendo bem firmes, tanto que temos até algumas represálias com relação aos nossos projetos, porque a segurança pública é a nossa principal bandeira. Eu já disse: não voto em nenhum aumento salarial até aprovar os aumentos das polícias. Primeiro tem que vir o reajuste do policial”, disse.

A diretora do SIPESP lembrou que o Sindicato está promovendo a união das categorias para congregar forças na busca por objetivos comuns da segurança pública. “Tanto que, em fevereiro, aconteceu um Simpósio organizado pelo SIPESP em que o Coronel Cangerana, da PM, e o Comandante Idelmo, da GCM, marcaram presença. Nós fazemos sempre questão de pontuar a necessidade da união dos representantes das categorias e de servidores todas as carreiras das polícias paulistas”, contou.

“A pressão que está sendo feita no Governo está sendo forte; o Governo ainda está arredio, mas estamos planejando algumas ações. Infelizmente é uma questão do Executivo: quem tem a caneta são eles; nós fazemos o que a gente pode, mas de uma maneira geral, estamos atuando de maneira firme”, finalizou.

Gallery not found.